03 fevereiro 2009

Cuidado com o carrapato!

Febre, dor de cabeça, dor no corpo, prostração. Quando soube do trabalho do veterinário Marcelo Labruna, da USP, eu estava com esses sintomas. São os da febre maculosa, mas também de um bom resfriado comum.

A primeira doença é transmitida por carrapatos, sobretudo o carrapato-estrela (Amblyomma cajennense), o da foto ao lado tirada pelo próprio Labruna (repare que ali estão cinco fases de vida do bicho, desde o minúsculo micuim até o carrapatão alimentado). Se diagnosticada cedo, basta um antibiótico. Caso contrário, surgem manchas na pele (as tais máculas), extremidades começam a necrosar e o paciente pode perder dedos e até morrer, em até 40% dos casos.

Não há motivo para pânico porque a doença é rara. Labruna e seus alunos andam pelo mato à busca de carrapatos infectados, deixam-se picar à vontade (o que não é o amor pela ciência...) e investigam o próprio sangue todos os anos em busca de sinais da doença. Nunca encontraram.

Mas se você (como eu) frequenta lugares onde há mato e carrapatos associados a cachorros ou capivaras, melhor ficar de olho. Eu estava só resfriada e sobrevivi, como previu o médico que eu, morrendo de vergonha da minha hipocondria, consultei.

Isso foi antes de eu ir conversar com o Marcelo dos carrapatos, como é conhecido na faculdade de Veterinária, e escrever a matéria que saiu na edição de janeiro de Pesquisa FAPESP. Agora acho que eu não teria tanta vergonha de tirar os sintomas a limpo.

8 comentários:

Karl disse...

Maria, criatura...
Não perguntar do que ser O caso descrito de febre maculosa, né?

Karl disse...

Ihhh, saiu errado! O que quis dizer foi: melhor perguntar que ser o caso publicado de febre maculosa.

Maria Guimarães disse...

exatamente, karl! agora sei, depois de ver as fotos horrendas e os números.

Claudia Chow disse...

Uia! Eu já peguei tantos carrapatos nos meus trabalhos de campo.
Uma vez eu tive febre, dores no corpo e nem sequer imaginei q pudesse ser febre maculosa. Qq uma das fases pode transmitir a doença?
Eu sempre tinha problemas com os infelizes dos micuins, q na minha opiniao sao os piores pq vc simplesmente nao encontra!

Maria Guimarães disse...

acho que qualquer fase transmite, mas o bicho tem que ficar uns dois dias pelo menos grudado em você pra transmitir a doença. mas é rara, como eu digo na matéria da Pesquisa.

os micuins são infernais porque muitas vezes vêm às centenas...

Anónimo disse...

só uma pequena correção:
Rickettsia rickettsii é o nome científico da bactéria causadora da doença, e não do carrapato estrela :P

mas bom post!

Maria Guimarães disse...

obrigada pela correção! acabo de consertar.

Anónimo disse...

Apenas uma correção. O carrapato estrela possui somente três fases de vida. Larva, Ninfa e Adulto. Na foto é possivel ver 1 larva, 1 ninfa, 1 adulto macho (menor) 1 adulto fêmea e 1 adulto fêmea ingurgitada.
Mas muito legal o post. Parabéns pela divulgação.