04 outubro 2008

Livro que recomendo

"O canto do dodô, se é que ele cantava, permanecerá para sempre desconhecido, pois nenhum ser humano que tenha deixado um testemunho deu-se ao trabalho de se sentar nas floresta de Maurício e abrir os ouvidos", escreve David Quammen em O canto do dodô, recentemente publicado pela Companhia das Letras. O que essas aves extintas deixaram foi um alerta sobre como a ocupação humana altera o mundo de forma irremediável.

Quammen vez e outra aparece por este blogue. Porque tenho a sorte de me envolver profissionalmente com os livros publicados por aqui, mas sobretudo porque tudo o que leio dele me fascina. Foi o caso do
Monstro de Deus, que traduzi. E da bela biografia do Darwin.

"É provável que você ainda não tenha ouvido o que os cientistas andam murmurando sobre o decaimento dos ecossistemas. E é igualmente provável que saiba pouco ou nada sobre uma disciplina aparentemente marginal conhecida como 'biogeografia de ilhas'". Quase oitocentas páginas depois, o leitor não só ouviu falar dessas coisas como entendeu e se encantou.

Quammen percorre e investiga ilhas, buscando entender as particularidades da evolução e da extinção nesses pedaços isolados de terra. E chega à Amazônia e à Mata Atlântica, onde o desmatamento na prática transforma a floresta em arquipélago. Vivemos em plena onda de extinções, comparada por especialistas ao meteoro que deu cabo dos dinossauros. Desta vez o meteoro tem nome: Homo sapiens.

Peguei o desenho aqui.

O canto do dodô - biogeografia de ilhas numa era de extinções
David Quammen

Tradução: Carlos Afonso Malferrari

792 páginas
Companhia das Letras
R$ 88,00

2 comentários:

Andressa Escarlatte disse...

gosto muito de seu blog. me siga tb XD

Anónimo disse...

Olá gostaria que vc excluisse o comentário acima pois exclui esse blog ha muito tempo . Obrigado

Se for possível excluir pode excluir esse tb obrigado!